Como lidar com os palpites durante a gravidez ?

Quem está ou já esteve grávida sabe: à medida que a barriga cresce, ouve-se vários palpites sobre o sexo do bebê, a escolha do nome, parto, amamentação e muito mais . Isso pode gerar certa angústia a ansiedade, sobretudo em pais de primeira viagem. Mas não precisa ser assim! Existem maneiras de curtir e se preparar para a chegada do novo membro da família sem se sucumbir à pressão dos palpites alheios . Afinal, a gestação pode sim ser vivida com leveza .

É preciso ter em mente que, por mais invasivas que possam ser, as pessoas em geral não fazem isso por mal e sim com a intenção de transmitir experiência e perpetuar práticas que considerem positivas. Se a futura mamãe se sente insegura ou despreparada, trocar idéias com alguém mais experiente pode ser extremamente benéfico, certo? Por isso vale a pena respirar fundo e ter um pouco de paciência, sobretudo se o “palpiteiro” for um amigo ou parente próximo. Tente ser o mais polida possível e não se esqueça que por trás do palpite pode estar uma ajuda inestimável, especialmente se você se sente insegura ou despreparada, que pode facilitar e muito a sua vida.

A chuva de opiniões recebida pela gestante, entretanto, pode ser cansativa e até mesmo inconveniente. Nesse caso, fazer o pré-natal corretamente e buscar informações pode ajudar, pois suas ações estarão baseadas em recomendações médicas e de especialistas. É possível também responder que você pretende descobrir a maternidade por si mesma, aprendendo com seus erros e acertos. Isso ajuda a neutralizar aqueles que dão opinião somente para mostrar que sabem mais do que você, além de demonstrar uma elegância que evita que aqueles que realmente têm o intuito de ajudar sintam-se desvalorizados.

Muitas gestantes também se sentem desconfortáveis com pessoas (às vezes desconhecidas) tocando sua barriga assim que se aproximam sem consentimento. Psicólogos atribuem essa atitude à aura de santidade atribuída à mulher grávida, de modo que tocá-la é como tocar uma divindade. Se isso lhe acusa aflição (lembrando que você não está errada por isso), não é necessário se calar e aceitar o toque passivamente. É possível explicar seu incômodo ao ter a barriga tocada ou elegantemente tocar o rosto da pessoa, que assim poderá ter uma idéia do desconforto causado por uma aproximação tão invasiva. Outra alternativa é colocar os braços a frente da barriga, bloqueando qualquer proximidade indesejada.

O importante é estabelecer certos limites e filtrar o que ouve, sem deixar que as opiniões que você recebe pesem sobre você. Lembre-se que cada caso é um caso, cada mãe e cada bebê são únicos e que o que deu certo em uma família pode não dar certo na sua. Não menospreze aqueles só querem o melhor para a sua gestação e ao mesmo tempo não se esqueça que você conhece seu corpo e seu bebê melhor do que ninguém. Procure se informar , esclarecer dúvidas e se cercar de energias positivas para viver esse momento tão especial da melhor maneira possível!

Deixe uma resposta